Citação

 É a menção, em um texto, de informação extraída de outra fonte (material e/ou documento) com o objetivo de esclarecer, reforçar ou ilustrar o que se diz.

Todas as fontes de onde foram extraídos as ideias e os trechos citados no trabalho devem ser referidas, caso contrário, o autor incidirá em plágio.

Quando devemos fazer a citação?
Se usamos palavras ou ideias extraídas de:
·       livros, revistas, relatórios, programas de  TV,
·       filmes, cartas, páginas web, e-mail, listas de discussão etc,
·       Informações extraídas de entrevistas, palestras,
·       Cópia exata de um parágrafo ou frases.

Quando não precisamos citar a fonte?
Se usamos nossas próprias palavras ou ideias; exceto para tabelas e ilustrações (figuras, quadros, etc) cuja indicação da fonte, de acordo com a NBR 14724, (2011, p. 11) é obrigatório mesmo que seja produção do próprio autor.
·       Conhecimento Comum,
·       Informações contidas em  Enciclopédias, dicionários, etc,
·       Observações do senso comum,
·       Informações históricas de conhecimento público,
Ex: Getulio Vargas suicidou-se em 1954
·       Noticias publicada em revistas ou jornais,
Ex: Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito presidente do Brasil

CITAÇÃO DIRETA
 É a cópia fiel de um fragmento. Nesse caso, é preciso constar o sobrenome do autor, o ano da publicação, a(s) página(s), volume(s) no início ou fim da citação.
  • Citação Direta breve – fragmento de até 3 linhas, deve ser inserido no texto entre aspas duplas.
Exemplo:
Bagno (2004, p. 69) esclarece que: “O domínio da norma culta não é instrumento de ascensão social."
  •  Usamos  [...] quando pegamos partes do texto, omitindo o trecho que não desejamos citar:
Exemplos:
Segundo Russel (1994, v.1, p. 44): “[...] atualmente, a maior parte do mundo científico emprega a versão chamada unidades SI.” Na lista de referências: RUSSEL, John Blair. Química geral. Tradução e revisão técnica de Márcia Guekezian et al. 2. ed. São Paulo: Makron Books, 1994. 2 v.
 “As propostas de melhorias de processo e tecnologia são coletadas e analisadas [...] com base nos resultados de projetos-piloto” (KOSCIANSKI; SOARES, 2007, p. 153).

  • Citação direta longa -  quando o fragmento citado tem mais de 3 linhas. Deve ser destacada do corpo do texto com um recuo de 4 cm (além da margem esquerda), com letra menor que a do texto utilizado (fonte 10), sem itálico e sem aspas.
Exemplo:
Segundo Perelman e Olbrechts-Tyteca, para argumentar:
[...] é preciso ter apreço pela adesão do interlocutor, pelo seu consentimento, pela sua participação mental [...]. Quem não se incomoda com um contato assim com os outros será julgado arrogante, pouco simpático, ao contrário daqueles que, seja qual for a importância de suas funções, não hesitam em assinalar por seus discursos ao público o valor que dão à sua apreciação. (2000, p. 18).

Citação indireta – baseada nas ideias de um autor mas escrita com suas palavras. A citação deve ser acompanhada do sobrenome do autor, ano da publicação e, opcionalmente, do número das páginas parafraseadas.
Exemplo:
De acordo com Eco (1989, p. 57), rigorosamente, um livro deveria ser citado sempre a partir do original.

COMO O AUTOR DEVE SER CITADO
 O autor é citado pelo último sobrenome seguido do ano de publicação da  obra. O mesmo sobrenome que aparece nas referências ao final do projeto. Quando a citação ocorre no início do parágrafo ou no corpo deste, o sobrenome é escrito  em maiúsculo e minúsculo e o ano entre parênteses. Quando a citação ocorre ao  final do parágrafo, o sobrenome é escrito em letra maiúscula, vírgula, ano, entre  parênteses.
Quando a citação está constituída de: 
  • um só autor (sobrenome do autor, ano),  
  • dois autores (sobrenome do 1º autor e sobrenome do 2º autor separados por e ano) ou 
  • mais de dois autores (sobrenome do primeiro autor et al., ano).
Na citação indireta não é obrigatório citar a página, na citação direta é obrigatório.
Exemplos:
   A ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade mostrada,  conforme a classificação proposta por Authier-Reiriz (1982).
   “Apesar das aparências, a desconstrução do logocentrismo não é uma psicanálise da filosofia [...]”(DERRIDA, 1967, p. 293).

    A cópia integral de uma tese, dissertação, monografia, site, livro, ainda que  citada, também gera questões legais, tendo em vista a falta de autorização do  autor para esse procedimento, sendo culpados ilicitamente o aluno e o  orientador, que permitiu o processo (CASTRO, 2009).

REFERÊNCIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário